terça-feira, 12 de maio de 2015

Permita-se


Um dia você descobre que por mais que busque a chamada felicidade, o que se encontra é sempre pequenos momentos de alegrias ao longo da caminhada e ao depender, esses momentos ficam no retrovisor de sua memória e de forma tão efêmera, ela desaparece, e novamente, você volta a buscar essa tal felicidade suprema, que nunca será para sempre, afinal nada é para sempre.
Numa procura incessante, você segue os conselhos de vários amigos que se consideram felizes e realizados, mas até onde a felicidade deles, tem em comum com sua essência? Não há meios, recantos ou projetos para levarem a sensação plena de leveza, há sim um árduo caminho, onde se aprende que ser feliz está intrinsecamente ligado ao que você é, seus pequenos momentos de alegrias pode estar num botão de rosa, numa caixinha com pedras ou num sorriso verdadeiro de um desconhecido.
O medo do futuro solitário torna o ser humano materialista e egoísta, excêntrico em seus castelos de sonhos, ao final lhe restam flores e lágrimas. Mais nada! Não conto os contos de réis, mas conto e acumulo cada abraço, beijo e sorriso que ganho espontaneamente e assim vou fazendo minha fortuna, decoro o apartamento com partes dos meus amigos, sento num sofá que teve uma história e que me traz boas recordações, guardo os livros numa estante de outro amigo e a cada livro empilhado é o meio de mantermos nosso elo, coleciono CD´s numa cômoda de outra amiga e a cada novo CD´s nosso baú vai ficando mais profundo como nossa amizade. Acredito que assim são criados e atados os laços e não os nós.

É inseguro se libertar, abrir os braços e receber os pingos de chuva, mas é delicioso se encharcar dessa pequena brincadeira de criança, tornamos-nos adultos e tudo começa a complica-se, muitos moldes, estruturas, conceitos, hierarquias, filosofias e doutrinas, um monte de coisa junta, que para os que têm espíritos livres acabam se aprisionando ou são aprisionados, ao fim, entregam-se e mantém em cativeiro ou formulam meios de um dia fugir, ninguém se sustenta por muito tempo sendo o que não é, em algum estalar de dedos, percebe que os anos passaram muito rápido e que ainda pouco viveu ou se divertiu como deveria, sendo assim, ao abrir os olhos a cada amanhecer perceba o quanto há de possibilidades para se ter um dia belo, alegre e revigorante. Permita-se!
Postar um comentário